Últimas Notícias

Blog

câncer, problemas hormonais, envelhecimento prematuro entre outros, estão relacionados com o pH do corpo

Já sabemos que uma enorme quantidade de doenças e problemas físicos são ocasionados pela acidificação do sangue, e que obviamente está associado com a ingestão de alimentos acidificantes.
A dieta ocidental é extraordinariamente composta por alimentos formadores de ácidos no sangue (proteínas, cereais, açúcares), principalmente os “alimentos” Industrializados, estes são grandes aliados na degeneração da saúde e eficientes em tornar um organismo propício a doenças de todos os tipos. Como se não bastasse, somam-se a isso fatores de maus hábitos de vida e poluição, estresse. Tanto a falta de atividade física quanto a atividade física intensa também causam acidificação no sangue. Os alimentos geradores de alcalinidade como vegetais são consumidos em uma escala muito menor. É de extrema importância a ingestão de vegetais e frutas para equilibrar a necessidade do consumo de proteínas, que são geradores de ácidos.
O pH (potencial Hidrogeniônico), é um indicador de acidez ou alcalinidade de uma determinada solução, quanto maior o índice de pH, mais alcalino e mais rico em oxigênio é a solução, quanto menor for o pH, mais ácida, e, portanto, mais pobre de oxigênio é a solução. O pH varia de 0 a 14, onde, pH 7 seria um pH neutro, e, tudo abaixo de pH 7 seria ácido, e, tudo acima de pH 7 é considerado alcalino.
O pH do sangue varia entre (7,35 e 7,45), desta forma, um sangue com pH abaixo disso é um ambiente propício para doenças, entre elas a mais temida, o câncer, todos os tipos de câncer. O câncer só se desenvolve e vive em ambiente ácido.
O corpo possui uma pequena reserva de minerais alcalinos como sódio, potássio, magnésio e cálcio, contudo uma alimentação acídica, retira destas reservas estes minerais, ou seja, um sangue ácido, rouba estes minerais dos corpo, principalmente dos ossos para poder equilibrar o pH do sangue. É por esta razão que a médio e longo prazo bebidas como cerveja, refrigerantes, bebidas com conservantes (bebidas de caixinhas) são causadores de osteoporose, pois além de serem bebidas ácidas, são feitas com água filtrada por Osmose Reversa, destiladas e/ou purificadas.
Um pH ácido pode ocorrer devido a uma dieta acidificante, estresse emocional, sobrecarga de toxinas, e/ou reações do sistema imunológico ou qualquer processo que dificulte as células de absorver oxigênio ou outros nutrientes. O corpo tentará compensar o pH acídico usando minerais alcalinos. Se a dieta não contiver minerais suficientes para compensar, ocorrerá uma acidificação celular.
Resumindo, quando o pH sanguíneo fica abaixo do normal, o organismo está propenso a todos os tipos de doenças do coração, fadiga crônica, alergias além de doenças causadas por vírus, bactérias e fungos. Uma maneira de manter o pH saudável é evitar alimentos com pH baixo, como café (em torno de 4,0), refrigerante (em torno de 2,0), cerveja (varia de 2,5 a 4,2 dependendo da marca). O consumo grande de açúcar produz pH ácido.
A água considerada adequada para consumo, boa para a saúde, tem de ter um pH entre 7,0 e 7,5. Um pH levemente alcalino do sangue aumenta a oxigenação das células e a imunidade, uma vez que, vírus e bactérias precisam de um meio ácido para sobreviver. Assim como o fogo precisa de oxigênio para existir, os vírus e bactérias necessitam de um meio ácido para se manterem vivos.
ALIMENTOS FORMADORES DE ÁCIDOS NO SANGUE
Espargos, cevada, feijão (seco), carne, pão, trigo, manteiga, castanhas de caju, cereais, queijo, castanhas, frango, chocolate, moluscos, óleo de fígado de bacalhau, queijo curado, Farinha de milho, caroço de algodão, ervilha, caranguejo, nata, ovos, farinha branca, avelãs, nozes de nogueira, mel, carne de cordeiro, lentilhas, lagosta, cavala, Macarrão, xarope, margarina, mariscos, cogumelos, aveia, massas, amendoim, ervilhas, nozes, romã, carne de porco, ameixa, marmelo, arroz, nabos, centeio, chucrute, salmão, esparguete, açúcar, xaropes, tapioca, peru, nozes, trigo, gérmen de trigo.
ALIMENTOS QUE AUMENTAM A ALCALINIDADE NO SANGUE
Ágar-ágar, couve, amêndoas, maçãs, alcachofra, banana, beterraba, folhas de beterraba, amoras, brócolos, couve de Bruxelas, bardana, repolho, melão, alfarrobas, cenoura, couve-flor, aipo, acelga, cerejas, cebolinha, coco, pepinos, figo (seco), linhaça, alho, uvas, toranja, (doce), goiaba, alga marinha, repolho, alho-porro, limões, alface, limas, framboesas, manga, melão, milho, menta, melaço, amoras, melões, mostarda, nectarinas, quiabo, azeitonas, azeite, cebola, laranja, mamão, salsa, maracujá, pêssego, pêra, caqui, abacaxi, ameixa, abóbora, rabanete, uva, framboesa, ruibarbo, alface, soja, espinafre, abóbora, morangos, tangerina, nabos, óleos vegetais, agrião, melancia.
ALGUNS PROBLEMAS CAUSADOS PELA ACIDOSE NO SANGUE
• Dano cardiovascular, ganho de peso, obesidade e diabetes.
• Problemas da bexiga.
• Pedras nos rins.
• Deficiência imunológica.
• Aceleração do dano por radicais livres.
• Problemas hormonais.
• Envelhecimento prematuro.
• Osteoporose e dor nas juntas.
• Dores musculares e aumento do ácido lático.
• Baixa energia e fadiga crônica. digestão e eliminação lentas.
• Aumento de fermentações e fungos.
• Falta de energia, fadiga.
• Baixa temperatura corporal.
• Tendência a contrair infecções.
• Perda de iniciativa, prazer, e entusiasmo.
• Tendências depressivas
• Exaustão rápida.
• Compleição pálida.
• Dores de cabeça.
• Inflamação da córnea e pálpebras.
• Amolecimento e dor nos dentes.
• Gengivas sensíveis, inflamadas.
• Úlceras estomacais e da boca.
• Fissuras no canto dos lábios.
• Excesso de ácidos no estômago.
• Gastrite.
• Unhas finas e quebradiças.
• Cabelos secos, quebradiços e queda.
• Pele seca.
• Irritação da pele.
• Câimbras nas pernas.
CURIOSIDADE
Os rins são órgãos que filtram o sangue, são responsáveis pela eliminação de toxinas, e de substancias que estejam em excesso no organismo. Os rins filtram 190 litros de sangue a cada 24 horas, ele limpa todo sangue mais de 40 vezes por dia. Uma insuficiencia renal ocorre quando os rins ficam doentes, e desta forma todo seu funcionamento ficam comprometidos.
Portanto, cuide bem dos seus rins, evitando ingerir o mínimo de alimentos inadequados. Quanto menos uma maquina trabalha, se desgasta, mais tempo operando ela permanece, quanto menos desgastarmos nossos orgãos, que são as maquinas do nosso corpo, conseguiremos viver mais e bem.
 (Artigo extraído de telomero.com.br)

DISRUPTORES ENDÓCRINOS – PORQUE SÃO TÃO PERIGOSOS

Os disruptores endócrinos podem interferir com as funções endócrinas tanto ativando ou inativando diretamente receptores alvo endócrinos, quanto desregulando a síntese de hormônios ou seu controle local através da inibição ou ativação de suas enzimas metabolizadoras.
” Disruptores endócrinos são substâncias químicas presentes no ambiente que alteram a função do sistema endócrino, interferindo nas ações hormonais, causando efeitos adversos à saúde. Estamos expostos a estas substâncias desde o útero até o final da vida, pois as mesmas estão presentes em uma grande variedade de produtos de uso diário como alimentos, garrafas plásticas, enlatados, detergentes, cosméticos, brinquedos, protetores solares e agrotóxicos. Em contato com a nossa comida ou água, nossa pele, ou no ar que respiramos, estas substâncias são absorvidas pelo nosso organismo e passam a afetar não só o indivíduo exposto, mas também seus descendentes.
Porque são tão perigosos?
O desenvolvimento do nosso corpo é um processo unidirecional que depende de eventos finamente regulados e temporalmente coordenados a nível celular, bioquímico e molecular, que resultam em um organismo saudável. A exposição a substâncias químicas ambientais pode provocar alterações funcionais que desviam a trajetória deste intrincado processo de desenvolvimento, causando alterações fenotípicas permanentes, assim como alterações epigenéticas com efeitos trans geracionais (transmitido aos descendentes). (…)
Como entramos em contado com estas substâncias químicas?
Os químicos disruptores endócrinos migram para o ar, para a água e os alimentos devido a derramamentos acidentais, poluição, lixiviação a partir dos invólucros dos alimentos ou água, volatilização (aerolização), contaminação dos alimentos pela aplicação na agricultura, distribuição lipofílica para o leite a partir das reservas corporais, etc. A aplicação na pele de loções, protetores solares, sabonetes e outras misturas contendo QDEs (Químicos Desruptores Endócrinos) provoca a absorção dérmica. O contato ocupacional com estes químicos engloba múltiplas vias de exposição a concentrações mais altas do que às que o cidadão comum é exposto.

Quais são os mais comuns?

As substâncias químicas sintéticas que causam disrupção endócrina são categorizadas genericamente em poluentes de vida curta, que são onipresentes no ambiente, e poluentes orgânicos persistentes (POPs). Os poluentes de vida curta incluem os Ftalatos e o Bisfenol A, presentes em larga escala nos plásticos. Os POPs incluem os agrotóxicos organoclorados (DDT e DDE), subprodutos industriais como as dioxinas, e retardadores de chamas como os éteres de difenila polibromados (PBDE do inglês polybrominated diphenyl ethers).
Quais são as doenças que eles causam?
As glândulas endócrinas encontram-se amplamente distribuídas pelo corpo, e produzem hormônios que atuam como reguladores do desenvolvimento, de processos fisiológicos e de funções homeostáticas. Várias funções dos hormônios naturais são cruciais tanto para a manutenção da saúde quanto para o aparecimento de doenças, e estas sofrem influência direta dos químicos disruptores endócrinos. Os QDEs interferem com as ações hormonais, perturbam a homeostase e podem alterar a fisiologia durante todo o período de vida do indivíduo, do desenvolvimento fetal até o envelhecimento. Alterações fisiológicas permanentes de longo prazo decorrentes da exposição precoce aos QDEs altera a susceptibilidade individual às doenças não-transmissíveis, cuja incidência vem aumentando marcadamente nas últimas décadas.
Estas são algumas das razões pelas quais a exposição aos QDEs vem sendo relacionada a inúmeras doenças que sofrem influência hormonal, dentre as quais:
  • Obesidade;
  • Diabetes Melitus;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Infertilidade;
  • Disfunção tireoidiana;
  • Câncer de mama, próstata, testículos, ovários, útero;
  • Endometriose;
  • Prematuridade, malformações congênitas;
  • Disrupção da diferenciação sexual cerebral

Dicas práticas para reduzir a exposição aos Disruptores Endócrinos:

  • Evite ao máximo o consumo de alimentos enlatados;
  • Reduza o máximo possível os alimentos processados de sua alimentação, em especial os classificados como fast food – mesmo em pequenas quantidades elevam grandemente os níveis de Ftalatos urinários;
  • Evite o uso de garrafas plásticas para armazenamento de bebidas – prefira o vidro ou o aço;
  • Evite o uso de recipientes plásticos para armazenamento de alimentos;
  • Evite aquecer alimentos em recipientes plásticos;
  • Evite ao máximo o contato da pele com papel térmico de recibos de caixas, bancos e máquinas de cartão de crédito, ingressos de cinema, etc;
  • Reduza a exposição, em especial de crianças e gestantes, aos cosméticos em geral (perfumes, sombra para olhos, cremes hidratantes, esmaltes para unha, sabonete líquido, spray fixador para cabelo, xampus, condicionadores, lenços umedecidos). Dê preferência a produtos de higiene sem Parabenos e sem Ftalatos;
  • Evite o contato de crianças com pisos de PVC, brinquedos plásticos, massa de modelar;
  • Protetores solares: dê preferência aos “métodos de barreira” como vestimentas e chapéus, limite os horários de exposição, verificar índice de radiação UV do dia. Ao selecionar o tipo de protetor solar, eivite os em spray (devido a inalação), e prefira os à base de minerais (óxido de zinco e dióxido de titânio), sem vitamina A;
  • No caso de moradia recém construída ou mobiliada – se for possível, aguardar período para biodegradação, fotodegradação, degradação anaeróbica dos Ftalatos presentes nas tintas e móveis antes de ocupar o imóvel;
  • Restaurações dentárias: se possível, optar por resinas e selantes sem Bisfenóis.
(ver link: http://ciatox.sc.gov.br/disruptores-endocrinos/)

Bibliografia:

EDC-2: The Endocrine Society’s Second Scientific Statement on Endocrine-Disrupting Chemicals. Gore AC, Chappell VA, Fenton SE, Flaws JA, Nadal A, Prins GS, Toppari J, Zoeller RT. Endocr Rev. 2015 Dec;36(6):E1-E150. doi: 10.1210/er.2015-1010. Epub 2015 Nov 6. Review.
Human exposure to endocrine disrupting compounds: Their role in reproductive systems, metabolic syndrome and breast cancer. A review. Giulivo M, Lopez de Alda M, Capri E, Barceló D. Environ Res. 2016 Nov;151:251-264. doi: 10.1016/j.envres.2016.07.011. Epub 2016 Aug 7. Review
Bisphenol A and its analogs: Do their metabolites have endocrine activity? Gramec Skledar D, Peterlin Mašič L. Environ Toxicol Pharmacol. 2016 Oct;47:182-199. doi: 10.1016/j.etap.2016.09.014. Epub 2016 Sep 22. Review.
Bisphenol S and F: A Systematic Review and Comparison of the Hormonal Activity of Bisphenol A Substitutes. Rochester JR, Bolden AL. Environ Health Perspect. 2015 Jul;123(7):643-50. doi: 10.1289/ehp.1408989. Epub 2015 Mar 16. Review
Urinary concentrations of 25 phthalate metabolites in Brazilian children and their association with oxidative DNA damage. Rocha BA, Asimakopoulos AG, Barbosa F Jr, Kannan K. Sci Total Environ. 2017 May 15;586:152-162. doi: 10.1016/j.scitotenv.2017.01.193. Epub 2017 Feb 4
A systematic review on the adverse health effects of di-2-ethylhexyl phthalate. Zarean M, Keikha M, Poursafa P, Khalighinejad P, Amin M, Kelishadi R. Environ Sci Pollut Res Int. 2016 Dec;23(24):24642-24693. doi: 10.1007/s11356-016-7648-3. Epub 2016 Oct 6.
Recent Advances on Endocrine Disrupting Effects of UV Filters. Wang J, Pan L, Wu S, Lu L, Xu Y, Zhu Y, Guo M, Zhuang S. Int J Environ Res Public Health. 2016 Aug 3;13(8). pii: E782. doi: 10.3390/ijerph13080782. Review.
High Levels of Bisphenol A and Bisphenol S in Brazilian Thermal Paper Receipts and Estimation of Daily Exposure. Rocha BA, Azevedo LF, Gallimberti M, Campiglia AD, Barbosa F Jr. J Toxicol Environ Health A. 2015;78(18):1181-8. doi: 10.1080/15287394.2015.1083519. Epub 2015 Sep 25.
Photoprotection: facts and controversies. Skotarczak K, Osmola-Mańkowska A, Lodyga M, Polańska A, Mazur M, Adamski Z. Eur Rev Med Pharmacol Sci. 2015 Jan;19(1):98-112. Review.

Phthalate exposure and children’s neurodevelopment: A systematic review. Ejaredar M, Nyanza EC, Ten Eycke K, Dewey D. Environ Res. 2015 Oct;142:51-60. doi: 10.1016/j.envres.2015.06.014. Epub 2015 Jun 20. Review.

– CONTACTE PARA AGENDAR O SEU PERFIL NUTRICIONAL E RESPECTIVO TRATAMENTO: E-mail: healthystyle4you@gmail.com – 

Ozonoterapia – Tratamento Revolucionário

” Dr.Otto Warburg vencedor do prémio Nobel em 1923 demonstrou que a causa preliminar do cancro é a ausência de reposição do oxigénio nas células e pela fermentação do açúcar.
O crescimento de “pilhas” de cancro é um processo de fermentação que pode ser iniciado somente na ausência relativa do oxigénio.
O Ozono é um dos oxidantes mais poderosos da natureza. É usado na purificação de água e tratamento do esgotos, e está a ser aplicado actualmente como medicamento na Europa, desde feridas e colites ao cancro, bem como no tratamento complementar da S.I.D.A.
Células saudáveis necessitam de oxigénio. A maioria das infecções ocorrem devido à invasão dos anaeróbios, porém, isto não irá prosperar em um ambiente rico em oxigénio. A deficiência de oxigénio no corpo, por exemplo: decorrente do ar poluído, do estilo de vida sedentário ou da dieta de alimentação tipo ´´fast-food´´ que requerem muita oxigenação para a eliminação de elementos nocivos ao corpo, incentiva a proliferação de bactérias anaeróbicas. “

Os benefícios da terapia de ozono

A administração de ozono produz inúmeros efeitos benéficos em nosso corpo. Mais especificamente:

  • estimula a liberação de endorfinas, as chamados ‘hormonas do bem-estar’, que bloqueiam a transmissão do sinal nocivo e liberam uma sensação de euforia;
  • tem ação antiinflamatória devido ao aumento das citoquinas antiinflamatórias (moléculas de proteínas responsáveis ​​por neutralizar a resposta inflamatória do corpo), reduzindo a quantidade de citoquinas pró-inflamatórias (que alimentam a inflamação).
  • otimiza a ligação entre o oxigeno inspirado e as hemácias (células responsáveis ​​pelo transporte do oxigeno aos tecidos), aumentando assim o suprimento de oxigeno aos tecidos periféricos com conseqüente efeito revitalizante;
  • tem efeito antienvelhecimento, pois estimula a ativação de mecanismos antioxidantes endógenos, ou seja, os produzidos diretamente pelo organismo (redução da glutationa e da supeóxido dismutase), que neutralizam a ação dos radicais livres;
  • tem um efeito lipolítico ou de “derretimento de gordura”, pois é capaz de quebrar os ácidos graxos de cadeia longa;
  • tem ação analgésica importante para o relaxamento muscular e vasodilatação e reativação do metabolismo muscular.
  • Promove a oxidação do lactato ou ácido láctico, neutralizando assim a acidose (níveis elevados de ácidos no corpo). Além disso, um outro efeito analgésico é derivado da indução de enzimas antioxidantes.

O ozono permite o aumento da síntese de trifosfato de adenosina, reserva energética das células

Por fim, sua capacidade de oxidação favorece a destruição de cápsulas e membranas bacterianas, conferindo ao ozono uma marcante função anti-séptica, em particular

  • bactericida;
  • vírus-estático, evitando a infecção das células e, portanto, sua replicação.
CONTACTE ESTA PÁGINA PARA OBTER MAIS INFORMAÇÕES SOBRE OS PRODUTOS DISPONÍVEIS À BASE DE OZONO PARA TRATAMENTO DE UM AMPLO LEQUE DE PATOLOGIAS. DESCUBRA OS BENEFÍCIOS!

Tratamento com ventosas – MTC, Testemunho paciente 1 – (Fotos e texto autorizados pela paciente)

Parecer / Testemunho paciente 1 – (Fotos: Tratamento com ventosas – MTC)

” Já há algum tempo que tenho sido seguida pela Marisol e quero transmitir-lhe que tenho apreciado muito o seu trabalho, quer pelo seu empenho pelo bem estar dos pacientes quer pela sua preocupação de formação profissional permanente.

Refiro sobremaneira  os seus métodos de trabalho desde a aplicação do método “PAR-BIOMAGNÉTICO”, à acupunctura, à massagem, aos diversos aconselhamentos.

Muito grata, a M.Glória.”

Amálgama Dentário e Intoxicação por Mercúrio

Um dos muitos problemas que se apresenta é que algumas pessoas intoxicadas pelas amálgamas desenvolvem uma sensibilidade notável a campos eletromagnéticos e muitas vezes também a lâmpadas fluorescentes. Certos metais pesados como o mercúrio aumentam os efeitos de vários tipos de radiação e podem causar sensibilidade à luz na pele.

Read more

Microbiota vaginal e infeções urinárias
Microbiota vaginal e infeções urinárias

A microbiota vaginal : importância do equilíbrio

Face às infecções urinárias de repetição, sobretudo após relações sexuais, é importante reequilibrar as várias microbiotas fornecendo Lactobacilos, fermentos lácticos, compostos importantes das floras vaginal e urinária, mas também agir sobre as causas destas fragilidades (stress, higiene…).

Read more

INTESTINO E DEPRESSÃO: UMA QUESTÃO DE LIMPEZA

” Talvez você ainda não saiba mas, o principal órgão do nosso corpo que tem a ver com a nossa saúde tanto física quanto emocional é o intestino. Recentemente o médico americano Michael D. Gershon, da Universidade de Columbia, em Nova York, confirmou que o intestino tem um sistema nervoso autônomo com uma vasta rede de 100 milhões de neurônios e neurotransmissores de montão.

Uma coisa muito interessante é que 90% de toda a serotonina que anda pelo nosso corpo é produzida lá, nos intestinos. Também é nos intestinos que nós produzimos 80% de todo o nosso potencial imunitário, para além do hormônio do crescimento.

Então, uma conclusão direta é: trate bem do seu intestino, mantenha-o trabalhando sem atravancos, alimente-se saudavelmente que você terá saúde tanto emocional quanto física. “Uma noite mal dormida, excesso de bebida, fumo e muito açúcar podem interferir no funcionamento do intestino, já que estes fatores modificam o PH intestinal e aceleram o envelhecimento, a falta de vitalidade e podem ainda agravar os quadros de depressão“, afirma a psicoterapeuta Adriana Splendore, que também é terapeuta ortomolecular e contou essas coisas em um artigo seu.

Sabendo disso, uma vez mais falamos aqui que você tem mesmo de cuidar de ter uma alimentação rica em água de boa qualidade e fibras orgânicas, que ajudam na limpeza do intestino, fora aportarem com vasta gama de minerais e vitaminas essenciais. “

A TERAPIA ORTOMOLECULAR, A HOMEOPATIA / HOMOTOXICOLOGIA, A NUTRIÇÃO CELULAR ACTIVA, ENTRE OUTRAS, SÃO DE GRANDE IMPORTÂNCIA E RELEVÂNCIA QUANTO À EFICÁCIA EM TERMOS DE ABORDAGEM TERAPÊUTICA PARA ESTE TIPO DE SITUAÇÃO, ASSIM COMO TAMBÉM PARA SOLUCIONAR MUITAS OUTRAS PATOLOGIAS. 

– CONTACTE PARA AGENDAR O SEU PERFIL NUTRICIONAL E RESPECTIVO TRATAMENTO – 

E-mail: healthystyle4you@gmail.com – Tlm. 91.5057155 

Estudo revela que sonolência constante de manhã pode ser sinal de demência no futuro.
Estudo revela que sonolência constante de manhã pode ser sinal de demência no futuro.

Estudo revela que sonolência constante de manhã pode ser sinal de demência no futuro.

Os cientistas concluíram que a sonolência diurna excessiva está relacionada à acumulação de placas de amiloides, uma proteína que retém as células nervosas no cérebro e cuja presença no cérebro ocorre em pessoas com Alzheimer.

Read more

Marcar Consulta